meistudies, 2º Congresso Internacional Media Ecology and Image Studies - O protagonismo da narrativa imagética

Tamanho da fonte: 
O blogger, o designer e o produtor multimídia: uma análise das suas produções informacionais
Otniel Josafat Lopez Altamirano, Wendy Margarita Montes Ponce, Esteban Sumano Sánchez

Última alteração: 2019-09-29

Resumo Expandido (Entre 450 e 700 palavras)

INFORMAR SE PARTICIPOU DO CONGRESSO INTERNACIONAL COMERTEC


Nas últimas duas décadas a Ecologia da Mídia tem passado por uma releitura, principalmente pelos avanços em mídias que estão sendo cada vez mais digitais. O mundo continua marcado por profundas mudanças nas formas de produzir, distribuir e consumir informação que nos obriga a revessar as atividades e processos entre mundos reais e virtuais. Entre toda essa ecologia a figura do indivíduo continua sendo o elemento principal, por ele ter a capacidade de entender e dominar linguagens em diferentes situações ou configurações, podendo desenvolvê-las de forma mais complexa e, também imagética. Pelo antes mencionado, ao longo do tempo, a comunicação tornou-se mais visual e envolvente, adotando outras fontes que reforçam a mensagem a ser transmitida, como: o som, o texto, o movimento, o código, entre outras linguagens que permitem a participação de indivíduos e a conexão entre eles. Motivo pelo qual, realizamos estudos de caso, trazendo para analise os perfis, as temáticas e as plataformas utilizadas nas atividades projetuais de três criadores de conteúdos informacionais. Cada um deles procede de nichos distantes tanto geográficos, bem como, profissionais, porém, os seus interesses e problemáticas obedecem aos seus contextos que se expressam através de linguagens, mecanismos e mediante ferramentas diferentes, direcionadas para grupos de usuários específicos: Do México o blogger Alan Estrada com a sua comunidade “Alan por el Mundo- AXM”; do Brasil a agência “Tátil Design”; e da Argentina a produtora multimídia “DCM Team”. Para tal análise, nos apoiamos sobre o método comparativo, estabelecendo-nos por o objetivo coletar informações, cruzá-las e compará-las frente a parâmetros que dialogam com temas de conexão, participação e difusão da informação. Assim também, nos apoiamos sobre referentes e autores que propõem reflexões, termos, críticas, necessidades, bem como, colocam as suas percepções sobre futuros comportamentos, vinculados às revoluções de transformação social, especificamente entre humano e as novas tecnologias digitais. Tal procedimento nos permitiu entender e discutir as formas em que esses profissionais estão produzindo e processando dados, articulando-os e gerenciando os conteúdos midiáticos, independentemente qual for a plataforma que melhor suporte as temáticas sociais que atingem a seus usuários. Finalmente com todo o anterior, chegar a uma síntese de resultados que nos permitiu estabelecer conjecturas e dar passo às observações que contribuíam para futuras pesquisas, aliás, que envolvam a áreas sócio tecnológicas e a sistemas de comunicação contemporâneas. Por tal modo, esperamos conhecer quanto e de que forma esses profissões estão atingindo maiores vantagens frente às novas dinâmicas de produção e consumo informacional na construção de ecossistemas mais conectados e complexos para grupos determinados de audiências, através de estímulos, recompensas ou ganchos que os incentive a explorar outras temáticas, assim como, outros entornos labirínticos até migrar de suporte do digital ao real e vice-versa.

 

 

APRESENTAÇÃO


Palavras-chave


Design contemporâneo, produtos informacionais, cultura colaborativa

Texto completo:

PDF