meistudies, 2o Congresso Internacional Media Ecology and Image Studies - O protagonismo da narrativa imagética

Tamanho da fonte: 
@doubleexposurefreak – Criação de uma galeria online internacional de duplas exposições analógicas no Instagram
Laís Akemi Margadona, Denis Porto Renó

Última alteração: 2019-09-16

Resumo


Este artigo busca apresentar o processo de criação do projeto experimental “@doubleexposurefreak”, uma galeria online coletiva no Instagram, aplicativo dedicado à fotografia e outras representações imagéticas. Nesta galeria, trabalhos experimentais de fotógrafos em todo o mundo são selecionados e agregados à respectiva conta do “@doubleexposurefreak” (disponível em: instagram.com/doubleexposurefreak), diariamente. Os critérios de avaliação e publicação serão explicitados nos próximos parágrafos.

O termo “double exposure freak” provém do inglês e significa, em tradução livre, “desajustados [ou viciados] por duplas exposições”. O termo “freak”, aberração, é tomado como um adjetivo elogioso, visto que múltiplas exposições são o foco único da galeria e eram tidas no passado da fotografia analógica como um erro gerado pela distração do fotógrafo. Para evitar esse tipo de problema, câmeras caseiras e profissionais eram munidas de um dispositivo que impedia a dupla exposição acidental, desde a compacta Yashica MF-3 Super, popular no Brasil, à Asahi Pentax K1000, SLR com lentes intercambiáveis.

Em outra via, porém, utiliza-se do antes tido como defeito deste tipo de técnica para a criação de novas relações de sentido dentre os elementos fotografados, entrelaçados de maneira praticamente imprevisível na emulsão fotográfica. No portal brasileiro de fotografia analógica, “Queimando Filme” (disponível em: www.queimandofilme.com.br), ensina-se diversos métodos para a produção de duplas exposições, incluindo um texto dedicado à Pentax K1000. Outros tutoriais podem ser encontrados no canal brasileiro “Câmera Velha” (disponível em: youtube.com/cameravelha), dentre outros sites nacionais e estrangeiros.

Galerias online de curadoria de trabalhos fotográficos já existem e são populares dentro do aplicativo Instagram. A galeria online “@photocinematica” (disponível em: instagram.com/photocinematica), dedicada à fotografias que se assemelham a stills de cinema, possui 303 mil seguidores e 1.247 trabalhos postados. No analógico, a galeria “@analogfeatures” (disponível em: instagram.com/analogfeatures) possui 75,7 mil seguidores e 1.101 trabalhos publicados.

A coleta dos trabalhos para seleção da galeria é feita por meio da marcação de fotografias com o perfil “@doubleexposurefreak”. No aplicativo Instagram, é possível ao usuário marcar outras contas em suas fotografias postadas, gerando um link para que essas imagens possam ser vistas nos perfis em que foram marcadas. Dessa maneira, pode-se coletar publicamente as fotografias em que o perfil da galeria foi marcado. Durante o início do projeto, escolheu-se também selecionar fotografias por meio da hashtag exclusiva “#doubleexposurefreak” – outro método comum para catalogação pública de fotografias relacionadas a um tema ou conta específica no Instagram.

Desde a criação da galeria em 18 de janeiro de 2018, 711 fotografias foram anexadas por usuários meio da marcação “@doubleexposurefreak” e 524 publicações foram encontradas com hashtag dedicada ao projeto. Até o momento, 104 trabalhos foram curados e publicados no perfil da galeria. Cada fotografia é acompanhada de 30 hashtags, o máximo permitido pelo Instagram, de modo a aumentar o engajamento e atrair novos usuários.

Os critérios de avaliação incluem: nitidez e boa resolução da fotografia postada, relação harmônica entre os elementos visuais unidos pela múltipla exposição, informações completas de captura enviadas pelo usuário (incluindo título, câmera e filme utilizados, cidade e país de origem do fotógrafo) e harmonização da imagem selecionada com as outras já postadas na galeria. Nesse sentido, costuma-se agrupar as fotografias em grupos de 9 imagens com a mesma paleta de cor predominante; as próximas 9 imagens seguem a cor seguinte do espectro cromático, de modo a se criar um feed (organização visual do total de imagens de uma conta) harmonioso e organizado. O aplicativo Planoly (disponível para iOS e Android) foi descoberto ao longo da pesquisa e é utilizado para facilitar a organização e agendamento das postagens.

Dessa maneira, a galeria “@doubleexposurefreak” é um projeto interdisciplinar, que reúne as áreas de fotografia e mídia e tecnologia. Além da curadoria das imagens, conceitos como estratégias de engajamento, organização de feed e outras questões relativas à ecologia das mídias sociais foram considerados. Busca, assim, explorar o senso de coletividade que há dentro da comunidade analógica, observado desde a criação da Lomografia nos anos 1990. Intenta-se também divulgar o material de fotógrafos independentes e gerar uma galeria diária de repertório visual para aqueles que são interessados na técnica.


Palavras-chave


Fotografia; Fotografia analógica; Instagram; Mídias sociais; Ecologia dos Meios.

Texto completo: PDF