meistudies, 2º Congresso Internacional Media Ecology and Image Studies - O protagonismo da narrativa imagética

Tamanho da fonte: 
Percepção do Usuário em diferentes Dimensões de Tela: a transformação dos dispositivos e sua interação
Renata Svizzero Fakhoury, Danilo Leme Bressan, Denis Porto Renó

Última alteração: 2019-09-16

Resumo Expandido (Entre 450 e 700 palavras)

INFORMAR SE PARTICIPOU DO CONGRESSO INTERNACIONAL COMERTEC


Nos últimos anos, as tecnologias e, consequentemente, a produção e recepção de informação mudaram drasticamente. Em relação ao tamanho dos aparelhos, primeiramente, os celulares ficaram pequenos, quase imperceptíveis e disponíveis para pequenos nichos, podendo ser utilizados a qualquer hora e em qualquer lugar. Com o passar dos anos, houve o lançamento e a popularização de tablets, novas marcas e aparelhos de celular e também o aprimoramento de conteúdos veiculados pela internet através de vídeos e imagens em boa qualidade. Assim, os celulares voltaram a ter tamanhos robustos capazes de corrigir muitas de suas limitações. É possível observar que, com estes novos aprimoramentos e potencialidades, ou seja, a convergência midiática, que diz respeito ao cruzamento das tecnologias computacionais e midiática, os dispositivos móveis passaram a oferecer uma maior e mais aprimorada experiência para os usuários (JENKINS, 2009; VILCHES, 2003). Para Manovich (2001), a convergência midiática e as novas mídias são formadas por esse cruzamento entre o computador, que foi desenvolvido inicialmente para efetuar cálculos de dados numéricos, e as mídias, que permitem o arquivo de imagens, sons e textos. Com isso, o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação – as TICs, reconfigurou o acesso à informação, que se tornou mais interativo ao apropriar-se das inúmeras potencialidades da web 2.0. Dessa forma, houve, inclusive, uma mudança cultural (POSTMAN, 1994) e a criação de uma sociedade conectada (CASTELLS, 1999) que, além de consumir a informação de veículos tradicionais, também é capaz de produzir, reproduzir e compartilhar conteúdos em perfis pessoais de redes sociais em um mundo virtual que conecta diferentes pessoas, múltiplas culturas e infinitos interesses (LEVINSON, 2012) de forma instantânea. Percebe-se ainda, uma preocupação em possuir um produto com aparência e design atraentes por permitir que indivíduos se diferenciem entre si, refletindo as imagens sociais distintas dos proprietários (DEHGHANI; KIM, 2019). Essa mudança de paradigma implica na necessidade dos grandes veículos de mídia entenderem as formas de comunicar para uma sociedade líquida (BAUMAN, 2003) e cada mais individualizada (BAUMAN, 2008) através de produtos interativos on-line e, também, a buscar estratégias alternativas para viabilizar renda por meio de conteúdos disponibilizados na rede. Baseado neste ponto de partida, o presente estudo se caracteriza como exploratório e busca, inicialmente, por meio de um questionário e da exibição de imagens, analisar qual a percepção dos usuários e do seu entendimento quanto aos dispositivos visualizados e qual sua relação com a dimensão das telas de cada um deles. Para tal experiência serão utilizados como exemplo imagens de um iPhone, um iPhone Plus e um iPad. Por meio de uma análise mista (qualitativa e quantitativa) usuários de diferentes idades, sexos e graus de familiaridade com estes dispositivos e com a tecnologia, serão observados principalmente quanto o seu entendimento e sua percepção em relação dimensões das telas. Além disto, busca-se investigar como as diferentes dimensões da tela influencia a adoção da tecnologia para usuários em potencial.


Palavras-chave


usabilidade; comunicação; tecnologia; convergência; UX.

Texto completo:

PDF