meistudies, 2º Congresso Internacional Media Ecology and Image Studies - O protagonismo da narrativa imagética

Tamanho da fonte: 
Ensaio sobre uma metodologia de pesquisa em audiovisual para artistas-investigadores
Dorotea Souza Bastos

Última alteração: 2019-09-17

Resumo Expandido (Entre 450 e 700 palavras)

INFORMAR SE PARTICIPOU DO CONGRESSO INTERNACIONAL COMERTEC


O estabelecimento de caminhos metodológicos para a investigação no campo do audiovisual constitui relevante e esclarecedora etapa do processo de pesquisa. Desde a análise inicial do tema e objeto a serem pesquisados, percebe-se que o trabalho final resultante desse processo pode compreender tanto a elaboração de conceitos quanto a produção artística, e que os artefatos criados e observados no âmbito da pesquisa devem evidenciar e explicar os conceitos e obras investigados.

Ao longo do percurso da pesquisa em audiovisual, várias são as questões norteiam e abrem novos caminhos investigativos, o que pode ser percebido pelas diversas produções existentes na área, tanto em nível de graduação, em que os estudantes concluintes aproximam-se, cada vez mais, do fazer artístico, como em nível de pós-graduação, momento em que os estudantes-pesquisadores se deparam com as exigências acadêmicas da criação de conceitos e da produção científica e artística autorais.

Como docente e orientadora de trabalhos acadêmicos e artísticos, percebo a existência de lacunas na bibliografia específica sobre abordagens híbridas de investigação em audiovisual em que o pesquisador é, também, o artista da obra. Essa situação provoca algumas imprecisões sobre os caminhos de organização da pesquisa e os suportes teóricos a respeito dos processos de criação, produção e esquematização de ideias, além de questionamentos acerca de como gerenciar e agregar as diversas possibilidades disponíveis de pesquisa em âmbito geral, o que implica, muitas vezes, em incoerência metodológica.

A proposição de um trajeto metodológico coerente com a realidade do realizador audiovisual mostra-se fulcral ao desenvolvimento de uma proposta investigativa específica, levando à proposição de uma estruturação possível para o desenvolvimento de pesquisas nesta área, capaz de promover uma partilha de saberes em termos de produção científica e artística, neste campo complexo e miscigenado.

A partir dessa observação, buscou-se formar um conjunto distinto de formas metodológicas que combinasse aspectos de ordem criativa e técnica, considerando o cenário de hibridismo de uma investigação em audiovisual, que abarca tanto a criação teórica e a criação de obras/artefatos, buscando o equilíbrio entre criação, produção, análises teóricas e a criação de conceitos na pesquisa em audiovisual.

Desse modo, a proposta de percurso metodológico aqui apresentada neste resumo parte de uma confluência de conceitos e caminhos investigativos assentados na pesquisa em arte, proposta por Silvio Zamboni (2004; 2012), e na pesquisa baseada na prática, por Linda Candy (2006; 2018), chegando a uma proposição de metodologia de investigação em audiovisual como pesquisa em arte baseada na prática, na qual também servem de base para a proposição desta metodologia autores como Steven Scrivener (2000; 2002), Isaac Camargo (2004) e Cecília Salles (2011), que contribuem significativamente para a escolha e a compreensão dos caminhos percorridos. Esses autores são basilares nesse percurso metodológico, proporcionando a realização de uma investigação complexa, que atenda aos anseios do pesquisador como artista e aos rígidos critérios acadêmicos de investigação.

Ainda que haja espaço para a criatividade e mudanças de percurso decorrentes de resultados da criação artística, o artista-investigador busca uma solução prática (ZAMBONI, 2012), e, quanto maior for a consciência desse processo, mais elaborada será a investigação realizada, cujo resultado aparecerá no artefato artístico (CANDY, 2018), seja em formato de filme, instalação, performance, ou outros formatos disponíveis com os recursos audiovisuais, gerando novos conhecimentos. As obras audiovisuais surgem, assim, em resposta aos questionamentos iniciais e são a própria descoberta no âmbito da pesquisa, integrando teoria e prática. Nesta concepção, entende-se que a pesquisa em audiovisual se configura como um exercício de sistematização de ideias, mas também a materialização de projetos, conceitos e vivências resultantes da investigação artística.

 

Candy, L. (2006). Practice Based Research. University of Technology, Sydney.

Candy, L. (2018). Practice-Based Research in the Creative Arts. Leonardo, 51(1), 63-69.

Salles, C. A. (2011). Gesto inacabado. Processo de criação artística. São Paulo: Intermeios.

Scrivener, S. (2000). Reflection in and on action and practice in creative-production doctoral projects in art. Working Papers in Art and Design, 1.

Scrivener, S. (2002). The art object does not embody a form of knowledge. Working Papers in Art and Design, 2.

Zamboni, S. (2004). Situação atual da pesquisa em/sobre Arte. In Moreira, C. G. (Org.). Arte em Pesquisa. Londrina: Eduel.

Zamboni, S. (2012). A pesquisa em arte: um paralelo entre arte e ciência. Campinas: Autores Associados.

Palavras-chave


Artista-investigador; Audiovisual; Metodologia; Pesquisa;

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o trabalho

Visualizar todos os comentários