meistudies, 1º Congresso Ibero-americano sobre Ecologia dos Meios - Da Aldeia Global à Mobilidade

Tamanho da fonte: 
3ª Idade Conectada: o processo de Inclusão Digital sob a perspectiva dos Novos Novos Idosos
Mayckel Barbosa de Oliveira Camargo, João Fernando Marar

Última alteração: 2019-01-16

Resumo Expandido (Entre 450 e 700 palavras)

INFORMAR SE PARTICIPOU DO CONGRESSO INTERNACIONAL COMERTEC


Resumo

Com o envelhecimento, as pessoas são apresentadas a vários fatores inerentes à idade que por si só já caracterizam uma fase da vida que inspira cuidados, porém contextualizados na nova ecologia dos meios, temos a exclusão desta faixa populacional ao meio digital como agravante que acaba por causar sofrimento com essa alienação ao novo meio tecnológico, comunicacional e mesmo social. Este estudo tem como objetivo refletir sobre o tema, a partir de um projeto de inclusão digital para idosos da cidade de Bauru, interior do Estado de São Paulo, Brasil, sob o prisma da sociedade tecnológica e hiper-conectada.

 

1 introdução

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia a Estatística (IBGE) (2019) em 2018 a população brasileira contava com aproximadamente 28 milhões de cidadãos acima de 60 anos que acabam enfrentando situações pertinentes a idade tendo hoje como fator agravante a tecnologia presente em seu cotidiano.

Como possíveis amenizadoras deste apartamento social, estão às iniciativas de inclusão digitais para a terceira idade, pensadas e organizadas para uma interação além da humano-computador tradicionais, avançando em direção à nova ecologia dos meios.

 

2 A nova Ecologia dos Meios

À partir da década de 80 a sociedade tem passado pela mais importante revolução na comunicação desde a prensa de Gutenberg: a internet, onde através da rede pode-se conhecer lugares longínquos, culturas desconhecidas e uma infinidade de possibilidades (RENO & FLORES, 2012).  Com essa interatividade e possibilidade de mão dupla no caminho comunicacional se consolida a blogosfera, como argumenta Gillmor (2005) dizendo que “nós somos a mídia”, com a sociedade contemporânea almejando um espaço colaborativo para difusão de suas informações e mensagens.

 

3 Discussão

Diante deste cenário sócio-tecnológico e midiático, complexo e interconectado (RENO & FLORES, 2012) esses idosos mostram, em sua grande maioria não só dificuldades, mas também desejo na utilização e assimilação dessa nova realidade.

Através da observação participante do projeto 3ª Idade Conectada, uma iniciativa de inclusão digital para idosos da cidade de Bauru, interior do Estado de São Paulo, Brasil, pode-se visualizar os anseios desses idosos para com o mundo tecnológico que agora os cerca.

Levinson (2012) argumenta que o mundo mudou, que agora tudo é muito, muito diferente e que os “novos novos” meios são utilizados pelos “novos novos” cidadãos. De fato, o mundo se apresenta de maneira muito, muito diferente para esses idosos, que agora podem aprender um ponto novo de crochê pelo Youtube®. Que podem conversar e ver seu filho que está do outro lado do mundo pelo Skype®. Esses vovôs e vovós não estão mais simplesmente sentados na varanda de suas casas esperando o tempo passar, eles estão empolgados em participar ativamente do mundo interconectado que os cerca, desempenhando efetivamente o papel de novos novos cidadãos se tornando assim uma geração de novos novos idosos, que aceita as possibilidades advindas dessa nova ecologia dos meios para então se empoderarem e de fato se encaixarem na nova ordem construída pela sociedade contemporânea.

 

4 Considerações Finais

Não basta criar iniciativas de inclusão digital para a 3ª idade simplesmente com o intuito de letramento digital. Esses senhores e senhoras precisam de muito mais do que apenas saber utilizar a tecnologia que os cerca. Pode-se verificar que esses novos novos idosos estão ávidos por essa imersão na sociedade conectada, onde o computador tradicional já não mais supri plenamente suas necessidades se fazendo necessária a inclusão também nos artefatos tecnológicos que fazem parte desta nova ordem social onde os meios e tecnologias deixam de ser suporte e passam a ser uma hiper-extensão da sua própria realidade.

 

Referências Bibliográficas

GILLMOR, D. (2005) Nós, os media. Lisboa: Editorial Presença.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2019). Projeção da população do Brasil e das unidades da federação. Recuperado http:/www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/

LEVINSON, P. (2012). New new media. nova Iorque: Pinguim.

RENÓ, D & FLORES, J. (2012). Periodismo transmedia. Madri: Fragua.

 


Palavras-chave


Inclusão Digital; Idosos; Nova Ecologia dos Meios

Texto completo:

PDF