meistudies, 1º Congresso Ibero-americano sobre Ecologia dos Meios - Da Aldeia Global à Mobilidade

Tamanho da fonte: 
Orgulho e Preconceito em terras tupiniquins: permanências e rupturas da trama clássica na telenovela brasileira Orgulho e Paixão
Giovana Montes Celinski

Última alteração: 2019-01-16

Resumo Expandido (Entre 450 e 700 palavras)

INFORMAR SE PARTICIPOU DO CONGRESSO INTERNACIONAL COMERTEC


As obras de Jane Austen já foram lidas por milhares de pessoas de todo o mundo. As histórias da escritora inglesa inspiraram adaptações e releituras produzidas para diversas mídias e plataformas (televisão, cinema, quadrinhos, redes sociais, entre outros). Este trabalho discute sobre características das releituras de clássicos da literatura apresentadas em outros suportes tecnológicos, tendo como foco a telenovela brasileira Orgulho e Paixão. Essa pesquisa investiga rupturas e permanência de aspectos das obras originais de Austen no folhetim brasileiro, que é inspirado nas obras da escritora. A fim de refletir sobre o tema, utilizou-se Calvino (2007), Sainte-Beuve (2013) e Williams (1979) para discutir sobre a noção de clássico literário, cultura e televisão.

“É uma verdade universalmente conhecida que um homem solteiro, possuidor de uma boa fortuna, deve estar necessitado de uma esposa” (AUSTEN, 2010, p. 9). Essa frase é mundialmente conhecida não apenas por iniciar o famoso romance escrito por Jane Austen, Orgulho e Preconceito, mas também por estar presente em centenas de adaptações e releituras desse clássico literário. Ao longo dos séculos, a história passou por transformações, adequando-se aos anseios, características e demandas da sociedade que a recebia. Em suas obras, a escritora revelou as angústias das mulheres e homens de sua época, assim como explorou os pequenos tensionamentos e conflitos cotidianos da sociedade em que vivia.

A escritora inglesa logo se mostrou inovadora ao construir seus livros com personagens femininas de complexidade e apresentando os conflitos entre classes e gêneros (MOREIRA, 2017). Além disso, de acordo com O Livro de Literatura (2016), Austen também criticava a pequena nobreza inglesa local. Nesse sentido, suas obras são consideradas romances de costumes: uma literatura que investiga as contradições e conflitos da sociedade nas classes média e alta. Observa-se também que o estilo literário da escritora carrega um tom satírico, além de se apresentar como exemplo do realismo literário, pois revela um retrato fiel do cotidiano e da vida das pessoas comuns.

Ao considerar toda a inovação desenvolvida pela escritora inglesa nos anos 1700, o que acontece quando a trama de Austen se desloca para a contemporaneidade e vira inspiração para um tipo de produção audiovisual brasileira que compõe a cultura nacional: a telenovela? Essas produções são um gênero televisivo independente que lidera a audiência em diversas regiões do país, veiculado na televisão brasileira. De linguagem sedutora, a telenovela revela dramas sociais, costumes e elementos culturais da contemporaneidade, independentemente da época em que se passa a história (REBOUÇAS, 2009).

O objeto de estudo deste trabalho, a telenovela Orgulho e Paixão, estreiou em 20 de março de 2018 no horário tradicional das 18 horas da Rede Globo de Televisão, de acordo com o site Gshow e teve seu último episódio exibido em 24 de setembro de 2018. Escrita por Marcos Bernstein, a produção, de caráter inovador, é livremente inspirada nas obras da de Austen. É importante notar que mesmo que o nome remeta ao livro Orgulho e Preconceito, a releitura brasileira vai além do olhar contemporâneo sobre um clássico da literatura. A telenovela se inspira em diversas obras da escritora inglesa (Razão e sensibilidade (1811), Mansfield Park (1814), Emma (1815), A Abadia de Northanger (1818) e Lady Susan (1871)), misturando tramas e personagens dos livros e trazendo-os para os anos de 1910 na sociedade brasileira do café.

O que permanece e o que se transforma nessa nova releitura? Essa pesquisa, de caráter exploratório, investiga permanências e rupturas que se apresentam em Orgulho e Paixão, ao realizar uma análise comparativa da telenovela brasileira com aspectos das obras originais da escritora inglesa. A fim de realizar o estudo, a leitura dos livros e o acompanhamento sistemático dos capítulos da telenovela foram realizados.


Palavras-chave


Telenovela; Novas Narrativas; Jane Austen; Orgulho e Paixão; Releitura Literária.

Texto completo:

PDF