meistudies, 1º Congresso Ibero-americano sobre Ecologia dos Meios - Da Aldeia Global à Mobilidade

Tamanho da fonte: 
Drone no âmbito audiovisual contemporâneo: uma perspectiva de Marshall McLuhan.
Larissa Soares Pessoa, Vicente Gosciola

Última alteração: 2019-01-16

Resumo Expandido (Entre 450 e 700 palavras)

INFORMAR SE PARTICIPOU DO CONGRESSO INTERNACIONAL COMERTEC


O texto tem como objetivo apresentar algumas propostas comunicacionais do filósofo e teórico da comunicação Hebert Marshall McLuhan equiparando as ideias contidas em seus livros com o avanço da tecnologia atual, dando ênfase ao Drone ou VANT’s (veículos aéreos não tripulados) e seu uso no meio audiovisual, trazendo o que poderia ser uma ideia póstuma de suas visões para o futuro desses equipamentos para os anos seguintes.

Os estudos de McLuhan trouxeram muitos conceitos que vem sido revisados por pesquisadores de comunicação e trazem contradições entre os estudiosos se suas ideias são superficiais ou de fato trazer um embasamento tecnológico, o fato é que suas propostas influenciaram muitos lideres e pessoas importantes e com certeza levam o individuo comum a repensar seus hábitos de comunicação e tecnologia do dia a dia.

Através de uma linha do tempo de suas obras literárias podemos pensar um pouco sobre qual seria o seu posicionamento sobre a popularidade do drone.

 

É válido ressaltar que os VANT’s (drones) não surgiram atualmente mas sim por volta dos anos 60, época que McLuhan já havia iniciado suas pesquisas sobre comunicação, mas até então não era algo que chamasse grande atenção até porque esses equipamentos ainda eram bem diferentes do que conhecemos hoje em dia, até então sendo um projeto experimental e somente por volta dos anos 80 que de fato ganharam mais atenção pelo seu uso militar.

Em contraponto, nessa época, McLuhan observava a comunicação com sua teoria de “Galáxia de Gutenberg” a transição entre o conhecimento oral, onde a informação chegava de boca a boca para a chegada de um novo tipo de comunicação: a escrita. Podemos usar sua expressão “O meio é a mensagem” para analogar a recepção que os VANT’s tinham na época, com sua única e exclusiva função de encaminhar explosivos de destruição em massa, o principal elemento de comunicação e informação na época era o jornal impresso, não se possibilitava uma notícia imediata em massa a menos que fosse possível o envio físico de uma cópia de jornal para aqueles que não obtivessem um rádio ou um televisor, hoje em dia pode ser uma utopia pensar a utilização dos drones para distribuição de noticiário impresso ou para qualquer outro tipo de finalidade educacional na década de 60, de primeiro olhar não soa como uma má ideia esse tipo de distribuição de informação onde a internet era inexistente, e difícil acesso a televisores e rádios, até então era comum se estudar o efeito do meio quanto ao conteúdo, sem que se atentasse ao seu meio (jornal, rádio, televisão, cinema, etc.). McLauhan acreditava no oposto, para ele, cada meio tem as suas características próprias, consequentemente, seus efeitos específicos, ou seja, qualquer transformação do meio é mais determinante do que uma alteração no conteúdo, mais importante não é o conteúdo da mensagem, mas o veículo através do qual a mensagem é transmitida, isto é, o meio, que independente da sua utilidade, afeta a sociedade de algum modo além da finalidade para a qual foi criado.

Quando falamos sobre uma forma de tecnologia (drone) e uma forma de transmitir informação (imagens captadas) transmitidas ou exibidas do próprio aparelho, a sua teoria se torna ainda mais delicada pois temos exatamente a junção do meio de comunicação com a própria forma de se comunicar.

Sua tétrade relacionada ao drone que capta imagens poderia ser composta da seguinte maneira:

  • Aperfeiçoamento: O que o meio amplifica ou intensifica; O drone amplifica as técnicas audiovisuais, sendo usado para registrar locais de difícil acesso humano.
  • Obsolescência: O que o meio exclui de destaque; reduz a privacidade daqueles que podem ser flagrados ao redor do aparelho.
  • Recuperação: O que o meio recupera que foi anteriormente perdido; sendo utilizado para captura de situações reais ou fictícias com muito mais dinamismo e trazendo uma impressão de imersão a imagem muito maior do que nunca.
  • Reversão: O que o meio faz quando atinge o extremo; O drone poderá registrar imagens de alguma situação X sem a permissão prévia daqueles que aparecem, podendo trazer reversões positivas ao modo que podem denunciar alguma situação e negativas para aqueles que não controlam que estão sendo observados.

Palavras-chave


marshall; mcluhan; audiovisual; drone; atualidade; tecnologia

Texto completo:

PDF