meistudies, 1º Congresso Ibero-americano sobre Ecologia dos Meios - Da Aldeia Global à Mobilidade

Tamanho da fonte: 
OPEN DESIGN E CULTURA OPEN SOURCE: TECNOLOGIAS ABERTAS COMO PROPOSTA PARA O ENSINO
Eliane de Oliveira Silva, Dorival Campos Rossi, Sabrina Marcandali, João Fernando Marar

Última alteração: 2019-01-16

Resumo Expandido (Entre 450 e 700 palavras)

INFORMAR SE PARTICIPOU DO CONGRESSO INTERNACIONAL COMERTEC


Introdução

O mundo e a sociedade sofreram consideráveis mudanças com o advento da internet e da globalização. As evoluções tecnológicas acontecem a cada dia com mais rapidez e as pessoas em geral têm se adaptado à nova realidade. Os sistemas de ensino, por outro lado, estão aderindo timidamente essas mudanças sociais, ideológicas e tecnológicas. Por isso, existe uma lacuna entre esses sistemas e a realidade das pessoas que nele estão inseridas. Considerando que vivemos em uma era tecnológica, torna-se imperativo repensar o ensino inserindo as novas tecnologias nos ambientes educacionais de maneira efetiva e significativa.

 

Objetivos

Este artigo visa analisar as tecnologias abertas inseridas em sistemas de ensino: quais seriam suas possíveis colaborações e de que maneira essa inserção pode ser realizada a fim de sistematizar um ensino transformador, autônomo e colaborativo. Este artigo também tem como objetivo abordar os conceitos de Open Source e Open Desing aplicados em uma proposta de ensino com base na ideia do “Do It Yourself” (Faça Você Mesmo).

Metodologia

Para este artigo a metodologia utilizada inicialmente foi pesquisa bibliográfica. Ele está dividido em duas partes: a primeira traz uma reflexão acerca das tecnologias abertas e a segunda apresenta um estudo de caso prático realizado pelo Sagui Lab, na UNESP de Bauru, em que alunos e professores construíram uma impressora 3D.

Discussões

O mundo é tecnológico. Nossas relações de trabalho e afetivas também estão muitas vezes fundamentadas em recursos tecnológicos. A escola, em contrapartida, ainda não incorporou de maneira efetiva tais ferramentas à sua realidade. Para Moran: “[...] As tecnologias digitais hoje são muitas, acessíveis, instantâneas e podem ser utilizadas para aprender em qualquer lugar, tempo e de múltiplas formas. [...]. Os “open sources”, softwares de fonte aberta, e o open design (desenho aberto), podem se tornar grandes aliados dos educadores, pois permitem fácil acesso ao conhecimento, além de tornar os simples usuários em participativos colaboradores. De acordo com Moran: “[...] Há hoje um crescimento do movimento de Recursos Abertos, de disponibilização de conteúdo, de plataformas gratuitas, de MOOCS (cursos gratuitos online), de comunidades de aprendizagem.” Outra possibilidade dos open sources é aprender a fazer o que se quer. É a ideia do “faça você mesmo” (do it yourself). A utilização de open sources também possibilita a troca de conhecimentos e a livre distribuição de conteúdos, o que contribuiria para uma educação autônoma e transformadora.

As tecnologias abertas (Open Sources e Open Design) podem oferecer ao educador possibilidades de trabalho personalizadas. Elas permitem que o usuário as modifique de acordo com seu interesse e/ou necessidade. Elas também podem possibilitar que o processo de ensino-aprendizagem ocorra de maneira mais democrática, pois permite que todos os membros do grupo participem da “elaboração” do conhecimento. O professor poderá orientar o trabalho, mas não será algo pronto e engessado, e sim algo que poderá ser modificado, a partir de ferramentas tecnológicas que o grupo considerar interessante.

 

Considerações finais

A partir deste estudo foi possível perceber que as novas tecnologias podem ser aliadas dos educadores. O caso relatado do Sagui Lab foi um exemplo bem sucedido do uso de tecnologias em educação. Alunos e professores juntos determinaram o desafio de construir uma impressora 3D e com o uso de Open Sources e de Open Design, bem como trabalho colaborativo, o objetivo foi alcançado com êxito. Foi uma experiência interessante, pois os alunos realmente participaram de cada fase do processo, adquirindo e construindo conhecimentos, provando que é possível desenvolver um trabalho com propostas de ensino baseadas na ideia de abertura e tecnologia.

Referências bibliográficas

ABEL, V. et al. Open design now: Why Design Cannot Remain Exclusive. Amsterdam: BIS publishers, 2011.

CABEZA, E. U. R.; Moura, M.; "OPEN DESIGN: ABERTURA + DESIGN = PRÁTICA PROJETUAL PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL", p. 2719-2730 . In: Anais do 11º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design [= Blucher Design Proceedings, v. 1, n. 4]. São Paulo: Blucher, 2014. ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/designpro-ped-01124.

MORAN, J. Tecnologias digitais para uma aprendizagem ativa e inovadora.

http://www2.eva.usp.br/moran/wp-content/uploads/2017/11/tecnologias_moran.pdf Acesso em: 05 ago. 2018.

THIOLLENT, M. J. Organização do trabalho intelectual e novas tecnologias do conhecimento. Ci. Inf., Brasília, 21 (1); 110-114, maio/ago. 1992. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/444 Acesso em: 01 ago. 2018.


Palavras-chave


Ensino. Open Source. Open Design. Tecnologias abertas.

Texto completo:

PDF